sexta-feira, 30 de julho de 2010

Holter 24 horas

Um título desse sugere algo entre Grey's Anatomy e Jack Bauer, certo? Tsc...

Bom...não sei como passar este dia sem partilhar algumas mensagens de carinho e fraternidade com as minhas queridas amigas de curral. Se bem que, a palavra “mensagem”, nesse momento, produz o primeiro desvio dos meus batimentos que estão sendo registrados nesse aparelhinho de holter, meu fiel companheiro pelas próximas 24h. Explico.

Hoje eu me programei pra fazer meus exames de tira-teima, aqueles que toda vez que eu to ansiosa demais acho que to tendo sintomas de infarto e decido fazer check-up pra voltar a ser feliz (correção: pseudo-feliz, claro). Tava bem-humorada, e possivelmente sendo motivo de piada (give it a damn) por que estava lendo “Mulé é um bicho burro mermo”, com a capa em pé na minha cara pra toda a sala de espera ver. O máximo, não? Eu ria copiosamente enquanto lia algo sobre conflito de interesses numa relação, sobre a vaidade que faz as pessoas terem atitudes absurdas, essas coisas. E ria, ria muito, confirmando aquela coisa de que “um dia eu ainda vou rir de tudo isso!”. Mas como cantava Ana Carolina na JB nesse exato momento, “Tudo paaassa....”.
Vi a luzinha de mensagem piscando no meu celular (pequeno parêntese:tem sensação boa mais besta que essa?É uma felicidade extrema ver que rolou uma mensagenzinha! Fecha parêntese.) rementente: "Bebê*", às 8h32. (parêntese 2:pra que manter na agenda o nome carinhoso do indivíduo?já é absurdo ele continuar na minha agenda, com esse pseudônimo de 4 letras que na verdade se traduz em esse-é-o-meu-amigo-fofo-que é-lindo-e-me-come-de-vez-em-quando.Aff!!!um complemento ideal seria "e-que-apareceu-namorando-10-dias-depois-de-nós-sairmos-pela-última-vez". É, isso mesmo.). Saca qual foi a da mensagem:

“bom dia cabeça (isso às 8h30 de hoje. Sentiu a retribuição do apelido carinhoso que eu dei a ele?hã?hã?). Vou comprar Aerolin, é melhor que Berotec,né"

...

Pausa. Reflexão. Esperar para que a vontade de cometer um homicídio doloso suma do seu peito.
Pensei.
Não acredito que essa pessoa tá me perguntando isso, pqp.
Eu sei que no meu juramento eu disse que ia dar assistência farmacêutica no matter what, mas MEEEEEU!
Eu preciso mesmo receber uma mensagem dessa, numa situação dessa????? (contextualizando: ele relatou uma crise de asma mês passado, que logicamente ele usou como desculpa pra não me com... digo, não sairmos nesse dia. E aí ele me disse que tava tomando Berotec e tava bolado por ter ficado com taquicardia, então eu disse que já era pra ter trocado por, no mínimo, Aerolin, que era mais seletivo e por isso daria menos esse efeito. Como estávamos no MSN, imagino ele dormindo nesse momento, com o Charlie Brown Mode [ON]. De volta à situação. )
Respirei e recobrei meu juízo, nunca se sabe quando um psicopata pode querer te denunciar pro conselho federal. Respondi, educadamente (ou não tanto): "Pode ser melhor sim, de qualquer forma, sempre consulte o seu médico"
E esse é o momento em que eu assumo a posição do cafa que dá respostas ambíguas mas que ninguém pode dizer que vc foi grossa!eu não fui grossa, senão toda propaganda da medicamentos seria grossa tb! Eu só repeti os dizeres que a Anvisa obriga a gente a dizer! Esperava de fato que não fosse receber uma resposta. masssss...a vida não é assim tão bonita. Nem fácil. Ele responde:

(respira fundo pra resposta)

"tá bolada comigo não, né?"

Bom...por onde começar? Ainda bem que nesse momento eu ainda não estava com o meu Holter em mim, nem quero saber como foram meus batimentos nessa hora. Antes que vocês esperem muito, não, eu não respondi. Mas confesso que rolou uma dúvida. Oscilações entre momentos de burralda orgulhosa e burralda-burralda. Pensei em responder ironicamente dizendo “oh. Imagina. Nem tenho motivo pra isso.” ou ainda somente um “será? E pra que vc quer saber?" Só que já ciente de que uma linha mega tênue separa um fora de um pedido de casamento quando se trata de uma relação cafa-burralda, preferi silenciar. Pensei na possibilidade dele ter mandado essa só pra puxar assunto e sentir se eu tô puta da vida ou não, ou mesmo pra saber se eu sei que ele tá amarrado ou não (aliás, em nome de Jesus, por que encosto tem mais que é que ficar amarrado mesmo!). Mas cara...nesse momento eu fui chamada pra colocar esse monte de fios que captam cada onda que sai do meu coraçãozinho. Então pensei...se eu responder, ele vai vir com aquele álibi ridículo de que eu também fiz isso quando comecei a namorar e estávamos saindo (isso mesmo, um circulo vicioso muito do besta). Não sei qual parte ele ainda não entendeu que eu não fiz isso do nada em nenhuma das vezes, por que a burrica sempre começou aquele conversê dizendo que iria se afastar dele “por que nós queremos coisas diferentes”. Mas ele é cafa, e todo cafa profissa que se preze tem que ter argumento pra tudo. Esses então, que como ele, têm reconhecimento de autenticidade em cartório (aliás, ele deve ter firmas reconhecidas por todo o país, diga-se de passagem), conseguem convencer até a si mesmos que tinham a melhor das intenções. Blé. Nojinho...
Então pensando numa possível alteração no resultado do meu exame por uma causa tão sem causa, eu aboli a resposta. Caso ele de fato queira saber se eu fiquei “boladinha” com ele, que pergunte depois. Lógico que ele só iria querer saber pra ter certeza de que se esse conto de fadas que a namoradinha dele tá vivendo (veja bem[1]: ELA está vivendo ; veja bem [2]:não estou, de forma alguma torcendo pra isso pro espaço. Prefiro mesmo é que essa cidadã consiga converter um cafa, cacilda!!) for pro espaço, ele vai ou não poder voltar pro jardim dele. Afinal, “borboletas sempre voltam, e o seu jardim sou eu”.

Depois disso tudo isso fui informada na sala de exames que eu teria que ficar 24 horas sem tomar banho e registrando todo o tipo de atividade que eu fizesse, emoçoes e aborecimentos. Quase que eu falei, "ô filhinha...tem um diário aí não?? uma folha é uma piada pra mim!". Mas o grande lance é encarar essas longas 24h numa boa, e torcer pra não receber mais mensagens pseudo-inocentes e e-mails esdrúxulos do judas-surdo(ih...esse é papo pra um outro post..mas vai lendo esse das burraldas pra saber os conceitos básicos.)

Agora, não vou fazer a clássica pergunta “meninas, mas me digam aí, eu mereço??” Por que sei que no fundo, eu devo merecer sim. Eu devo ter sido um belo dum encosto pra um monte de otárias na minha vida anterior, ou quem sabe eu fui a madrasta da Cinderela,Cruella DeVil, sei lá. Já pensei até na possibilidade de eu ter sido um homem, mas aquele puta-mega-cafa com carimbo e crachá. Se for, valeu aí pessoal, já aprendi a lição, dá pra aliviar minha barra agora? Enfim, a vida é essa aí, e a luta continua companheiras!




*rolou pseudônimo pro apelido, até pq tudo nessa vida é pseudo mesmo!

2 comentários:

  1. Pocket aahuahuahuahuahuahuah

    ResponderExcluir
  2. hahusuhahusahuuhasuhah '....

    adoreeeei ;]

    ResponderExcluir